quinta-feira, 19 de maio de 2016

A arte da retórica e a relatividade

Olá caros leitores, hoje irei falar um pouco da retórica e a relatividade, uma associação que me chegou da seguinte reflexão:

Como que a igreja (Católica) convenceu tantos que a Terra era o centro do universo?

Está certo que uma força bruta foi necessária, mas além disso a igreja privou a grande parcela da população da educação básica e usou argumentos convincentes para aquelas pessoas, cobriu as evidências e usou o poder de autoridade. Como o famoso "falar com convicção". Assim pode-se dizer que neste caso as pessoas foram convencidas em não procurar mais respostas pois tinha uma autoridade suprema que sabia de tudo o que existia no universo. Viram como a retórica pode servir para o mal?

Aí vocês podem me dizer cadê a relatividade? Eu vou lhes dizer que observei este exemplo somente no ponto de vista da grande população, pois conhecemos alguns cientistas que desafiaram a igreja e pagaram caro por isso, mas eles não se contentaram com a explicação dada pela igreja por conta do conhecimento.

Vou dar-lhes um exemplo de hoje; no ponto de vista do leigo político pode-se tirar várias conclusões sobre o que é certo para o país, mas conforme algumas buscas na internet (campo minado) conforme declarações de alguns cientistas políticos (tirando os extremistas que são levados por convicções pessoais) pode-se concluir, por exemplo, que a saída da Dilma não resolverá o problema, mas acreditar no poder judiciário nesta caça aos corruptos. Agora na minha opinião se acontecer a queda da Dilma, eu temo o Temer.

Outro exemplo de retórica muito bem usada foi a do Lula! Quando convenceu o país que ele era a solução para todos os males (e não era), mesmo assim nos convenceu do legado da Copa (nesta confesso que senti o cheiro de esgoto ao céu aberto) e que a Dilma seria uma boa sucessora (nesta eu não caí mesmo! Mas tem muita gente que caiu, fazer o quê?), agora quer nos convencer que aceitou o cargo de ministro para o bem do país e não para fugir da justiça (e ainda tem gente caindo). 

Isso nos mostra que quanto mais as mentiras foram ficando absurdas e sem sentido cada vez menos pessoas os apoiam, mas como tem pessoas que apoiam a legitimidade de seus atos? Lembra que eu falei que a Igreja manipulou a população por conta da falta de instrução? Tô falando aqui encima que existem pessoas que não acreditaram em suas falácias por conta de seu conhecimento, a diferença é que não estamos mais na Idade Média! Só mudaremos o país quando prevenirmos com educação o uso da retórica para motivos obscuros.

Eu posso muito bem convencer alguém com dados verdadeiros, parciais ou falsos, contanto que sejam coerentes para aqueles que me leem, ainda acredito que se minha retórica for bem usada relativo ao público que falo (estou dando um exemplo pessoal) vocês podem conferir que estou errado e mesmo assim acreditar em mim, estou estudando um pouco de como posso usar isso em minhas narrativas, pois um livro exige muito estudo (estudo esse que inicialmente nem imaginava precisar) e um recurso que pretendo usar muito aqui é a retórica, não pra convencer, mas para mostrar o ponto de minhas histórias curtas (eventualmente longas).

Muito bem pessoal, espero que tenham gostado! 
Se sabe de mais alguém que gostaria de me ler; compartilhe! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Fique à vontade para exibir sua opinião e deixe o link de seu blog/site também. Abraços Randômicos!