domingo, 12 de março de 2017

Post Random #18 A Primeira Página

Olá caros leitores e escritores, neste post você dará a devida importância à primeira página. Não sabe o motivo pelo qual deve ter uma primeira página perfeita e chamativa? Hoje você irá descobrir!

Pois bem, todos sabemos o quanto é importante ter uma boa qualidade literária em geral, mas a primeira página (ou as primeiras páginas) é fundamental pra fisgar o leitor, pois este é o primeiro contato com a sua obra, muitas vezes antes de uma resenha ou sinopse, às vezes gostou da sua capa...

O que devemos salientar aqui são algumas regrinhas de ouro pra que o leitor não fuja de seu livro, ou não o jogue na parede depois de páginas e mais páginas sem o devido desenvolvimento da história.

Vai escrever uma saga ou trilogia? Escreva o seu primeiro livro!

Muitas vezes pensamos "minha história dá uma saga!", mas não é bem assim. Até pode ser se você enrolar seu leitor, mas não vai querer isso. Se eu comprasse um livro e não fosse um escritor, gravaria um video tacando fogo num livro que não me levasse à lugar algum nas 50 ou 100 primeiras páginas. Alem de entediar o publico, você estará literalmente se queimando.

E como fazer isso? Simplesmente deixando seu ego de lado. Muitas vezes uma ideia é só isso; uma ideia. Às vezes se torna um conto, pode ser que se transforme numa noveleta, mas só será um livro ou saga se você expandir absurdamente o seu universo ficcional. Não aconselho à nenhum novato fazer isso, pois requer atenção total ao escrito e muito, mas muito estudo de técnicas literárias e organização.

Comece por algo simples:

Eu comecei com poesia e música, com isso ganhei noção de espaço e ritmo, mas pra adaptar isto na narrativa custou muita, mas muita prática mesmo! Foram três longos anos se frustrando com minhas histórias, foi quando percebi que poderia fazer esta transição de poesia e música de forma suave. Comecei a fazer pequenas estrofes e versos contando uma história no estilo "Pedrinho foi à padaria", depois avancei um pouco mais com dramas pessoais, pequenos sentimentos do dia a dia. Nada disso publicável, mas serviu ao propósito; agora aprendi a contar histórias.

Mas não pense que meu primeiro texto foi bom, péssimo pra falar a verdade; sem coesão, sem lógica interna, mas tinha ritmo e poesia. Então comecei a pesquisar mais técnicas. Como disse no último Post Random, eu descobri a ferramenta de roteiro quase por último, ela foi fundamental para o meu desenvolvimento como escritor. Até descobri um pouco do meu estilo de escrita antes mesmo do roteiro! Mas não façam isso, pois percorri o caminho mais longo.

Mas estamos falando da primeira página, não é? Então vamos à próxima vítima, opa, digo; a próxima dica:

Não descreva cenário! Descreva sentimento e ações.

Pegue o exemplo:
(...)
Cheguei em casa.
- Isso são horas de chegar? - Disse minha mulher.
Tirei os sapatos, deixei meu casaco no cabideiro.
- Não vai responder não? Seu cachorro!
Já estava cansado disso; todo dia depois do trabalho, tudo igual. Bebi um copo de água que escorreu pelo meu pescoço.
- Bebendo pinga né? Pra beber desse jeito só pinga!
- Deixa disso... - Respondi. - Trabalhei o dia inteiro e faltou água no trabalho. Só tô matando a sede mesmo!
- Ah... Agora grita comigo, né?
(...)

Não foi cena de nenhum livro que estou escrevendo, mas ilustra bem como deve funcionar uma primeira página; poucas descrições, conflitos e sentimentos fortes. Pra experimentar um pouco, vamos ver como fica a cena em terceira pessoa:
(...)
Ao chegar em casa Aberto é recebido "carinhosamente" por sua esposa:
- Isso são horas de chegar? - Disse Marina.
Sem se importar ele deixou os sapatos sapatos jogados no canto e o casaco mal arrumado no cabideiro.
- Não vai me responder não? Seu cachorro!
Ele apenas pegou água do filtro e a tomou, derramando-a pelo pescoço, molhando o chão.
- Bebendo pinga né? Pra beber desse jeito só pinga!
- Deixa disso... - Disse ele calmo e cansado. - Trabalhei o dia inteiro e faltou água no trabalho. - Respirou fundo. - Só tô matando a sede mesmo!
- Ah... Agora grita comigo, né? - Resmungou Marina.
(...)

Pessoalmente gosto de escrever em primeira pessoa, pois se você tem que mostrar os sentimentos de um personagem, que seja pelo seu ponto de vista...

Mas seguindo com a primeira página; se alguém está lendo, quer dizer que ficou interessado na capa ou sinopse, se você mostra uma primeira página com conflito e desenvolve isso a cada palavra, frase, parágrafo e nas próximas páginas, não há motivo para que não gostem de seu livro, ao menos não podem tirar uma conclusão até terminar.

Gostou das dicas? Quer saber o que penso sobre seu texto? Me envie suas primeiras páginas! gustavo.vegas.pro@gmail.com.

Abraços randômicos e até o próximo post!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Fique à vontade para exibir sua opinião e deixe o link de seu blog/site também. Abraços Randômicos!